Capítulo 12, Versículos de 1 a 9

 

1. Falaram Miriã e Arão contra Moisés, por causa da mulher cusita, com quem casara; porquanto tinha casado com uma mulher cusita.

2. E disseram: Porventura, tem falado o Senhor somente por Moisés? Não tem falado também por nós? O Senhor o ouviu.

3. Era o varão Moisés mui manso, mais do que todos os homens que havia sobre a terra.

4. Logo o Senhor disse a Moisés, e a Arão, e a Miriã: Vós três, saí à tenda da congregação. E saíram eles três.

5. Então, o Senhor desceu na coluna de nuvem e se pôs à porta da tenda; depois, chamou a Arão e a Miriã, e eles se apresentaram.

6. Então, disse: Ouvi, agora, as minhas palavras; se entre vós há profeta, eu, o Senhor, em visão a ele, me faço conhecer ou falo com ele em sonhos.

7. Não é assim com o meu servo Moisés, que é fiel em toda a minha casa.

8. Boca a boca falo com ele, claramente e não por enigmas; pois ele vê a forma do Senhor; como, pois, não temestes falar contra o meu servo, contra Moisés?

9. E a ira do Senhor contra eles se acendeu; e retirou-se.

Estudo sobre o texto da Bíblia Sagrada que se encontra no capítulo 12, versículos de 1 a 9 do Livro de Números, abordando a discussão por problemas secundários criados por inveja e o orgulho, com a intenção de sobrepor a posição e influência de seu líder Moisés.

Conforme vemos nos versículos 1 e 2, Miriã e Arão se opuseram à Moisés por causa de sua segunda esposa, pois a mesma era cusita, originária da Etiópia, estrangeira e não uma judia, como lhes era de costume. Também o criticaram pela posição elevada que Deus havia lhe concedido, pretendendo assim mudar tal situação, motivados pela inveja e ciúme em seus corações.

Nos versículos 4 e 5, vemos que as murmurações de Arão e Miriã chegaram até Deus. O juízo divino estava a caminho. Seu enviado estava sendo atacado covardemente e os subordinados indignos de Deus seriam colocados em breve em seu devido lugar. Cortando a rebeldia pela raiz, logo no início foram convocados por Deus, Moisés, Miriã e Arão ao tabernáculo, onde Deus manifestou Sua presença e agora fazia-os ouvir as Suas palavras, impulsionados a obedecê-lo prontamente. A situação então seria corrigida e a rebelião contida.

Deus havia dado a Moisés uma posição ímpar como Seu mediador, conforme vemos nos versículos 6 a 9, e, isso, vinha sendo ratificado do Êxodo no Egito até esse momento. Moisés exercia uma liderança submissa às ordens de Deus, não por arrogância, poder humano e imposição. Sua autoridade era divinamente conferida. Moisés, contudo, participava de um tipo de comunicação superior. Ele se encontrava com Deus face a face, e recebia revelações diretas.  Miriã e Arão foram impulsionados a obedecer prontamente e o papel de Moisés como mediador entre Deus e Israel foi assim reiterado.

Deus te abençoe !

 

Pr. Alexandre Araujo Ferreira

 

Bibliografia

BÍBLIA. Português. Bíblia de Estudo Arqueológica. Nova Versão Internacional. São Paulo: Editora Vida, 2013.

CHAMPLIN, RUSSELL NORMAN. O Antigo Testamento Interpretado. Vol.1. São Paulo: Candeia, 2000.

BÍBLIA. Português. Bíblia de Referência Thompson. Edição Contemporânea. São Paulo: Editora Vida, 1999.

BÍBLIA. Português. Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri, Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999. 1728 p.

BÍBLIA. Bíblia Sagrada. Traduzida em Português por João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil. 2 ed. Barueri – SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 1993. 1248 p.