Boa noite a todos! Louvado seja o nome do Senhor!

Então, pedi a minha amiga para entregar ao Pastor Alessandro meu testemunho, pois não quero que saibam quem eu sou, pois a obra é de Deus e não minha.

Estou a dar meu testemunho a muito tempo – na igreja – pois para quem me conhece, não me canso de mostrar e dizer que Jesus mudou minha vida. Vou tentar ser breve, mesmo sendo uma história bem longa.

Meu nome é G. Minha mãe e meu pai me pegaram aos 7 meses para me criar; eles já eram idosos e não podiam mais ter filhos. Os filhos de sangue deles, de seis, apenas um foi a favor da minha adoção; mesmo assim eles me criaram, me pegaram em um terreno abandonado, com pneumonia, bronquite e feridas na cabeça. Eu tinha poucas chances de vida, mas sobrevivi. Disseram que eu teria asma, bronquite, falta de ar; mas nunca senti nada. Já fumei durante um tempo, já fiz vários exames de “Raio-X”, e não tenho nada em lugar nenhum. Glórias a Deus!

Fui crescendo, tendo muito amor de meus pais; mas dos outros da família, ouvi muitos desaforos, jogavam tudo em minha cara. Aí conheci Jesus aqui nesta igreja com 12 anos e aos 14 anos me batizei. Com tanta humilhação e perseguição até em relação a Jesus, acabei me revoltando e desviando aos 16 anos. Virei uma adolescente muito mal criada, saia de casa e ficava na casa de outras pessoas; voltava pra casa quando não tinha mais jeito. Quando consegui um emprego saí de casa, fui morar em um albergue de mulheres, pois chegava em ‘casa’ e não tinha nenhum tipo de aborrecimento. Quando perdi o emprego, passei dias na chuva, passando fome, me escondendo embaixo de orelhões, esperando amanhecer pra ir pra casa dos outros. Foi um bom tempo assim.

Em um dia, recebi minha rescisão do último trabalho, e ganhei um bom dinheiro. Senti que meus pais estavam bem velhinhos, e pedi pra voltar pra casa, onde tinha em mente fazer uma obra, ajudar a eles; mas acabou que uma das filhas não autorizou. Nesta época eu já tinha 23 anos, era mais centrada, visitava-os e dava presentes. Arrumei um trabalho de caixa, em uma boate, onde podia aumentar o valor nas contas dos clientes, e me dar bem. Ganhei muito dinheiro, vivia muito bem, ajudava a todos; sempre gostei de dar cestas básicas, dízimo, mesmo que errada. No ano seguinte meu pai faleceu. Após três anos, resolvi sair do meu trabalho na boate, cansada daquela vida instável, pois meu salário era bem pouco. Aos poucos mudei, me tornei uma pessoa melhor; disse a Deus que não queria trabalhar mais pra ninguém, só pra mim. Sempre sonhei em ter meu próprio negócio, em vendas de quentinhas/self-service, mas nada dava certo. Vendi tudo que tinha para pagas as contas. Quando minha mãe perguntava, dizia que tudo estava bem, e sempre tentava ajuda-la. Um tempo depois, acabou que ela faleceu também. Após um tempo, tive que vender meu carro (financiado), tendo que financiar um para trabalhar. Minha vida estava se desmoronando, mas sabia que tudo que acontecia era da vontade de Deus. Nos cultos era impossível não chorar, mas não reclamava de nada. Isso ocorreu no ano de 2010.

Então me apareceu uma oportunidade de ter meu próprio negócio, mas pra isso, precisava de uma sócia que tivesse o capital. Como sempre fui certa nos pagamentos, consegui rápido uma amiga que entrasse com 10 mil reais, que eu pagaria 14 mil no decorrer de quatro meses ao invés da sociedade. Mas antes de fechar o negócio, gastei o dinheiro com comida para mim. Peguei cheque com agiotas, até que não tendo mais dinheiro, e estando no fim do poço, devendo 14 mil a uma amiga, vendi o carro financiado, e dei uma parcela pra ganhar tempo.

Continuei a vir aos cultos, agora desesperada e abatida, sem imaginar de onde tiraria aquela quantia. Eu não tinha ninguém a recorrer. Após a Palavra, em um dos cultos, o pastor disse “Fale pra Deus, eu preciso de um favor especial, aquele que só Tu podes fazer por mim”. Eu clamei do fundo do meu coração, ainda dizendo a Deus que não tinha a quem recorrer, senão a Ele. Cri que viria o melhor dEle.

Já em 2011, pra não passar fome e deixar de pagar aluguel de uma casa (toda ruim, por sinal), onde eu morava junto com uma amiga, eu vendia HAVAIANAS na porta do shopping. Naquele mês começou o agir de Deus na minha vida, onde a minha da minha amiga me emprestou 1 mil reais para maquinários. A impressora usada pra confecção e personalização dos chinelos custava 400 reais, que era vendida somente em SP; mas pesquisei, e descobri que se eu montasse a minha própria impressora, eu economizaria 200 reais, e assim o fiz, e deu tudo certo. Eu quando chegava do shopping, já não tinha forças pra nada, e assim resolvi vender o kit (maquinário) pelo valor que vi na internet, tendo um lucro de 400 reais .

Em dois meses eu já tinha um estoque de impressoras pro ramo de personalização de chinelos, então resolvi anunciar em sites de vendas. Primeiramente a venda era realizada somente no estado do RJ, pois a entrega era sem frete. Em cada venda, eu tinha um lucro de 200 reais, me possibilitando de comprar mais duas com o valor de uma venda. Debochavam de mim, dizendo que 200 reais não é lucro, mas isso é pra quem não conhece Jesus. Fiz uma parceria com uma amiga que vendia Havaianas comigo no shopping. Passamos a entregar as impressoras no braço, dentro do ônibus do RJ. Atendíamos clientes até 2h. Com o tempo, achei fornecedores de tintas, papéis, e outros materiais. Já perto do fim de 2011, já não havia mais dívidas antigas pendentes.

Nunca deixei de dar meu dízimo, ofertas, cestas básicas… Amo fazer isso, e faço até hoje, por gratidão a Deus, e amor ao próximo. Uma menina adotada, revoltada, no mundo sozinha; tudo de se esperar um futuro ruim, mas Deus me guardou. Tudo de ruim estava propenso a acontecer, mas eu conhecia o tamanho do meu Deus, e se não fosse pelo favor dEle, hoje eu não estaria aqui.

Hoje, eu e essa amiga temos duas lojas (grandes) em Madureira, e uma filial em Nilópolis; além de ter aberto, dia 31/8, a filial no Recreio. Tenho um carro de 33 mil reais, que comprei a vista, e outro de 21 mil, com caçamba, para carregar as mercadorias das lojas; que por sinal, foi comprada a vista, no valor de 100 mil reais. Tenho uma vida que sempre quis… Honesta, digna… Sei que não mereço tanto.

Sei que minha fé foi o alicerce de tudo, e o esforço da minha sócia. O restante foi Deus quem proveu.

Deus tem guardado nossas lojas, pois a farmácia que se encontra ao lado de uma das lojas em Madureira, já foi assaltada três vezes, em menos de seis meses. Nós, em dois anos, nunca fomos assaltados. Louvado seja o nome do Senhor.

No culto de Libertação, a fé, a humildade e a perseverança daquele pastor de Campo Grande/MT, com seu jeito tão simples; senti a vontade de ofertar 2 mil reais pra obra do Senhor, pra que Deus diga a Ele o que fazer com essa quantia. Sou grata por ter sido usada por Deus, para com esse projeto.

Agradeço ao pastor Alessandro, por ser meu porta voz. Digo a igreja que Deus é bom! Irmãos, Deus é fiel. Não tenha interesse no que Deus pode te oferecer, mas no que você pode fazer através de dEle! Deus abençoe!